CLIPSAS ou Centro de Ligação e de Informação das Potências Maçónicas Signatárias do Apelo de Estrasburgo

CLIPSAS ou Centro de Ligação e de Informação das Potências Maçónicas Signatárias do Apelo de Estrasburgo é um organismo internacional que visa reagrupar Obediências Maçônicas da maçonaria liberal e adogmática de todo o mundo e congregar maçons, homens e mulheres, que considerem que a “Liberdade Absoluta de Consciência é a grande vitória da humanidade sobre ela mesma“.

OBJECTIVO PRINCIPAL

O seu principal objectivo é o de criar um centro de união fraternal entre os Maçons “que consideram que a liberdade de consciência é uma vitória da humanidade sobre si mesma e que, longe de ser um factor de desunião, ela conduz, graças à livre confrontação de opiniões, à supressão de todas as barreiras“.

Fundada em 22 de Janeiro de 1961 por convocatória dirigida à maçonaria mundial pelo Grande Oriente da Bélgica e o Grande Oriente de França, para um encontro em Estrasburgo, encontro esse motivado pela intransigencia crescente que a Grande Loja Unida de Inglaterra e outras a esta associadas, nomeadamente as Grandes Lojas dos vários estados dos Estados Unidos da América,  que pretendiam impor como regra às restantes Obediências Maçónicas mundiais a exclusividade da crença dogmatica e obrigatória de Deus (não aceitando religiosos de outras religiões não monoteístas, agnósticos, descrentes ou ateus) para além da não aceitação como iniciados de mulheres, “escravos, negros, índios e deficientes”.

As Obediências Maçónicas então reunidas e que não aceitam nem se revêm nas regras atrás referidas e respeitando as suas soberanias, os seus ritos e os seus símbolos numa real e verdadeira cadeia de União Universal, decidiram assinar entre si um acordo em que se revêm no Apelo que as reuniu em Estrasburgo.

Deve-se entender que o CLIPSAS é por isso uma federação de Obediências Maçonicas (associações legais nos seus próprios países) e não centralizada não tendo por isso os seus órgãos que promulgar decretos impositivos ou que invadam o espaço das Obediências membros que a esta pertençam.

Os seus fundadores e continuadores consideram por isso que o CLIPSAS deve ser a pedra angular de uma União Fraternal de Maçons que consideram que a liberdade de consciência é a maior vitória da humanidade e que deve ser por isso um factor de união e não de desunião entre todos os homens e mulheres iniciados e que isto deve ser o princípio de supressão de barreiras entre estes e entre toda a humanidade.

Assim, o CLIPSAS, organiza colóquios anuais em que se discutem não só temas maçónicos mas também temas sociais que preocupam o mundo moderno, efectuando sinteses, para que, e de forma positiva se possa reflectir em conjunto e possam participar de forma construtiva na criação de uma opinião e aprofundamento de uma reflexão interna não só nas Obediências Maçónicas que desta fazem parte mas e mais importante sobre os seus membros, Maçons (mulheres e homens), que enquanto seres sociais poderão contribuir para que um mundo seja um lugar mais justo, fraternal e livre.

Deste modo, o CLIPSAS, não proíbe que algumas Lojas ou até de Obediências signatárias, abram algum livro sagrado (Biblia, Torah, Alcorão, etc) durante seus trabalhos e roguem pela proteção dogmática do Grande Arquiteto Do Universo ou que imponham acesso exclusivo de homens ou de mulheres à sua iniciação, apenas pretende que as suas signatárias não proíbam que outras o façam e ao estabelecer mútuo reconhecimento entre as suas signatárias na prática permitem visitas e a participação em igualdade de circunstâncias de homens e mulheres maçons aos seus trabalhos desde que assim aceites pelas suas Lojas.

EXTRUTURA DE FUNCIONMANETO

O órgão supremo do CLIPSAS é a sua Assembleia Geral anual, composta por representantes especialmente designados pelos seus membros, geralmente o próprio Grão Mestre ou alguém em representação deste e da qual todos os Maçons, mesmo aprendizes, de cada Obediência, podem participar.

Para a sua administração entre as reuniões das Assembleias electivas (que ocorrem de três em três anos), o CLIPSAS elege uma Direcção, integrada por um Presidente e seis Vice-Presidentes, com mandatos de três anos e elege desde há uns anos um representante regional para os três continentes onde tem obediências, a saber, Europa, América e África, embora na Ásia também detenha três Obdicências filiadas.

A Grande Loja Simbólica de Portugal tornou-se membro do CLIPSAS em 30 de Maio de 2015.

Quero partilhar
Translate »